RevsNet

From the halls of Foxboro Stadium…

RESULTADO MELHOR DO QUE A EXIBICÃO

Posted by tonybiscaia on May 10, 2009

By Walter Silva

Foi um resultado muito melhor do que a exibição, mas a equipa do Revolution já esteve muito melhor do que os últimos dois jogos.

Com algumas alterações no onze iniçial, e mesmo algumas mudanças de posição de alguns jogadores deu os seus frutos, no meio campo a saida de um medio mais ofensivo, como e Michael Videira, e a entrada de Pat Phelan, um médio mais defensivo. Com Joseph a apareçer como segundo ponta de lança, e a equipa passou a jogar num 4x4x2, passou a ter mais consistençia defensiva no meio campo.

Ė que Larentowicz e Phelan defendem bem, e o Revolution ao entrar para este encontro tinha sofrido nada menos do que oito golos, e era preciso ter um meio campo de trabalho para tentar parar Blanco e companhia.

O que não se adivinhava nada façil á partida para este jogo, porque o Revolution na ápoca transacta em quatro partidas disputada com o Chicago Fire teve outras tantas derrotas e so marcou um golo e sofreu nada menos do que nove. E ainda tinha outro contra. é que o Revolution nunca ganhou neste novo estádio do Chicago Fire, Toyota Park Stadium, um bellissimo estádio diga-se de passagem.

Mas Foi o Chicago Fire que começou por comandar as operações, sobre a batuta de Blanco, o internaçional mexicano á sim senhor um mestre a comandar todo o jogo ofensivo da sua equipa.

O Revolution ia defendendo como podia, e a tentar segurar a bola o mais possivel, é que sem bola não se pode marcar golos, e o Revolution veio com a lição bem estudada.
Mas foi o Chicago Fire a criar alguma dificuldade ao último reduto defensivo do Revolution, e não foi de admirar que por volta dos 36 minutos de jogo a equipa da casa chega-se ao golo.

Jogada rápida do ataque do Fire, com Blanco a meter em Brian McBride com este a rematar para boa defesa de Reis para canto, canto marcado do lado esquerdo como atacava a equipa da casa, apontado por Blanco, com Darrius Barnes a tentar aliviar mas felo para a frente da baliza, e o central do Fire, Wilman Conde a rematar para o fundo da baliza. Estava feito o primeiro do encontro, sem que nada o experiente guarda redes do Revolution pudesse fazer.

O Revolution tentou responder ao golo com algumas jogadas , mas a defensiva do Chicago Fire ai dando para as encomendas, e assim iamos chegar ao fim dos primeiros 45 minutos, com o resultado favorável aos donos da casa por 1-0.

A segunda metade começou da melhor maneira para a equipa do Revolution,que chegou á igualdade logo aos 49 minutos, com Jeff Larentowicz a cruzar para a area e com a bola a tabelar em dois defesas do Fire, e com a bola a resaltar para o capitão Joseph, com este a rematar de primeira e a bola só parou no fundo da baliza á guarda de Jon Busch.
Qualqer áltura é sempre boa para se marcar um golo, mas logo no reiniçio do jogo traz sempre algum alento a qualquer equipa, prinçipalmento quando já não se marcava um golo á 225 minutos de futebol.

A partir do golo do Revolution o Chigago Fire começou a pressionar cada vez mais, foi então que Steve Nicol começou a mexer na sua equipa, fez sair, o avançado Kheli Dube, e entrar o medio Steve Ralston, e o sistema táctico tambem sofreu alteração, e o Revolution passou a jogar num claro 4X5X1, com Joseph a ser o único ponta de lança.
E o Revolution ganhou muito com a entrada de Steve Ralston, começou a fazer girar a bola mais, começou a ser uma equipa mais compacta, e no dava tanto espaço aos jogadores do meio campo do Chicago Fire.
Mas pouco tempo depois Steve Nicol operou uma nova mexida na equipa, a saida de Pat Phelan e a entrada de Kenny Manssaly, assim o capitão Shalrie Joseph passou a jogar na sua habitual posição.

Mas mesmo assim o Revolution passou um mau bocado,não fosse a boa exibição do experiente guarda redes Matt Reis que mesmo já no periodo de descontos fez duas exçelentes defesas, a primeira a remate de McBride, e na segunda o o central Wilman Conde que rematou de cabeça, que Reis defendeu para canto.

Foi um bom resultado para o Revolution,um ponto num estádio em que na época transacta não consegui um único ponto em trez partidas, e depois dois dois péssimos resultados dos últimos dois jogos foi ouro sobre azul.

O Revolution estriou um novo central, Emmanuel Osei, um internaçional do Ghana que já passou por campeonatos como o da Italia a representar o AS Livorno, é um bom central, com dois bons pés, sai bem com a bola jogada, e tem bom posiçionamento no campo, joga bem na antiçipação, mas ainda terá que melhorar.

No próximo sabado pelas 7:30 da tarde o Revolution vai defrontar o Colorado Rapids, e poderá ver este jogo no canal de televisão WSBK TV 38.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: